Investigação do Serviço de Pneumologia distinguida com o Prémio da Sociedade Portuguesa de Pneumologia de 2022

terça-feira, 29 novembro 2022 16:31

Investigação do Serviço de Pneumologia premiada pela Sociedade Portuguesa de Pneumologia no seu 38º Congresso de Pneumologia com o Prémio da Sociedade Portuguesa de Pneumologia de 2022 atribuído ao melhor trabalho de investigação na área das doenças respiratórias publicado em 2022.

Catarina Santos foi a investigadora principal e 1ª autora do estudo “Telemonitoring of daily activities compared to the six-minute walk test further completes the puzzle of oximetry-guided interventions

 

Nos passados dias 10 a 11 de Novembro decorreu o 38º Congresso Português de Pneumologia, no qual a Sociedade Portuguesa de Pneumologia atribuiu o Prémio SPP 2022 ao artigo científico “Telemonitoring of daily activities compared to the six-minute walk test further completes the puzzle of oximetry-guided interventions”, reconhecendo este como o melhor trabalho de investigação na área das doenças respiratórias.

Nesta investigação ficou demonstrada a supremacia da telemonitorização do doente respiratório crónico relativamente aos testes convencionais, no que se refere à identificação de eventos com significado clínico, para a adoção de estratégias terapêuticas, nomeadamente a reabilitação respiratória.

O estudo foi publicado na Scientific Reports (Q1; IF 4.996) e livremente acedido através do link https://www.nature.com/articles/s41598-021-96060-w. A investigação comparou as avaliações de telemonitorização da atividade física na vida diária com provas de marcha de seis minutos realizadas no hospital. A telemonitorização identificou mais 24% de casos com dessaturação de oxigénio, comparativamente à prova de marcha de seis minutos, detetando saturações periféricas de oxigénio inferiores em 7,2 ± 8,4%, frequências cardíacas de pico superiores em 9,3 ± 15,5%, para atividades mais intensas em 0,3 ± 0,8 METs. Foram ainda identificados 27% de doentes com episódios de dessaturação de oxigénio sinalizados na telemonitorização da atividade física da vida diária, mas sem dessaturações de oxigénio na prova de marcha de seis minutos. Estes resultados requerem especial atenção futura face a implicações nas intervenções guiadas por oximetria, nomeadamente algoritmos em telemedicina, titulação de oxigenoterapia e avaliação regular da atividade física na reabilitação respiratória.

Esta linha de investigação desenvolvida decorreu no âmbito do Programa Doutoral EnviHealth&Co do Instituto de Saúde Ambiental (ISAMB) da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, integrada no Grupo de Investigação do ISAMB “Environment and non-communicable diseases” liderado pela Professora Doutora Cristina Bárbara.

A publicação premiada é da autoria de Catarina Duarte Santos, em coautoria com Ana Filipe Santos, Rui César das Neves, Ruy Ribeiro, Fátima Rodrigues, Cátia Caneiras, Martijn Spruit e Cristina Bárbara.

O estudo teve lugar no Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, concretamente na Unidade de Reabilitação Respiratória do Hospital Pulido Valente, reforçando parcerias já existentes com a Fundação Vodafone Portugal na área da telemonitorização dos doentes respiratórios crónicos que remontam ao projeto Telemonitorização da Oxigenoterapia de Longa Duração - TelemOLD.

O estudo agora premiado integra os resultados da Tese de Doutoramento de Catarina Duarte Santos intitulada “Pulmonary Rehabilitation in Chronic Obstructive Pulmonary Disease: impact on patients' self-efficacy”, sob orientação de Cristina Bárbara, Fátima Rodrigues e da tutora empresarial Cátia Caneiras, cuja defesa pública ocorreu a 3 de Outubro de 2022 na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. A dedicação exclusiva à atividade clínica de investigação na Unidade de Reabilitação Respiratória do Hospital Pulido Valente pela fisioterapeuta Catarina Duarte Santos foi possível mediante o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia e da Nippon Gases Portugal através da Bolsa de investigação PDE/BDE/127785/2016.