Centro Hospitalar Lisboa Norte

Unidade de Cirurgia do Ambulatório

Informação Geral

Direção

Coordenadora: Dra. Jelena Pajic Cassiano Neves

Enfermeiro-chefe: Enf. Maria Fernanda Fava Baptista

Administrador Hospitalar: Dra. Dália Oliveira

Secretária de Unidade: Anabela Figueiredo

Modelo Organizativo

  • Unidade Funcional Especial do Departamento de Cirurgia do CHLN
  • Unidade integrada (tipo II) multidisciplinar situada no Hospital Pulido Valente com pernoita

 

Contactos

Tel.: 21 754 82 68 / 21 754 82 66

Localização

 A UCA está localizada na ala norte do edifício D. Carlos do hospital de Pulido Valente.

 

Sobre

 Quais são as Vantagens  da Cirurgia do Ambulatório?

A popularidade mundial da CA está associada  a um conjunto significativo de vantagens para  os doentes e a comunidade:

Clínicas – menor possibilidade de doentes  contraírem infeções de origem hospitalar  e de complicações cardiovasculares, respiratórias, gastrointestinais, resultantes do repouso no leito que acontece em regime de internamento

Organizativas – melhoria do acesso dos doentes  à cirurgia, através da redução das listas de espera cirúrgicas, permitindo o aumento significativo  da eficiência hospitalar relativamente à cirurgia  de internamento

Sociais – permite uma recuperação pós-operatória  mais rápida, com início mais precoce das suas atividades diárias, da vida familiar e da atividade profissional, e uma menor alteração da vida quotidiana dos doentes

Económicas – permite uma forte racionalização  da despesa em saúde com uma correta reorientação dos custos hospitalares

 

O que é a Cirurgia do Ambulatório?

Cirurgia de Ambulatório (CA) é a intervenção cirúrgica programada, realizada sob anestesia geral,  loco-regional ou local, em regime de admissão  e alta do doente no mesmo dia, ou até o máximo  de 23 horas após a admissão.

  • É realizada em instalações próprias
  • É realizada de acordo com as “leges artis”  de cada especialidade, e com a mesma segurança das intervenções realizadas em regime  de internamento 

 

Quem pode ser operado  em Cirurgia de Ambulatório?

O sucesso da cirurgia de ambulatório depende de uma cuidadosa seleção dos doentes e procedimentos adequados, quer do ponto de vista cirúrgico quer  do ponto vista anestésico.

Critérios Clínicos:

  • Doentes saudáveis ou com uma patologia  de base, que não é alterada pelo procedimento cirúrgico
  • A intervenção cirúrgica proposta deve ter  uma duração inferior a 120 minutos
  • Possibilidade mínima de complicações  pós-operatórias
  • Controle da dor pós-operatória eficaz pela via oral

Critérios Sociais:

  • Habitar num raio máximo de 60 km, a fim de permitir uma deslocação ao Hospital inferior a 60 minutos
  • Considerar a idade fisiológica em vez  da idade nominal
  • Doente que compreende e aceita a proposta cirúrgica e as instruções dadas para o pré e o pós-operatório
  • Necessidade de acompanhamento pelo adulto responsável nas primeiras 24 horas
  • Ter transporte assegurado em veículo automóvel após a alta
  • Ter possibilidade de comunicar por telefone

 

Quais são as etapas  até à operação?

Na consulta de especialidade, o doente é observado e devidamente avaliado, e caso tenha as condições para ser operado em Cirurgia de Ambulatório ser-lhe-á feita essa proposta.

Caso necessário, será observado pelo médico da especialidade de Anestesiologia, e caso cumpra os critérios referidos será inscrito na lista de espera de Cirurgia de Ambulatório.

O esclarecimento dos doentes sobre a Cirurgia em Ambulatório e sobre a patologia particular é efetuado na Consulta de Enfermagem da Unidade  de Cirurgia de Ambulatório (UCA) do Hospital Pulido Valente – Centro Hospitalar Lisboa Norte.

Quando for agendada a operação, o doente será contactado telefonicamente pela Secretária  de Unidade, para a confirmação da data e hora  em que se deve apresentar na UCA do Hospital Pulido Valente, bem como para a comunicação  de outras informações oportunas.

No dia da operação, será feito o acolhimento pela equipa de Enfermagem da UCA e, se estiver tudo bem, será transportado para o Bloco Operatório.

 

E depois da operação?

Concluída a operação, o doente vai para a Unidade de Cuidados Pós- Anestésicos (UCPA), onde ficará algum tempo, após o que será transportado(a) para uma sala de recobro da UCA.

Antes de ter alta, é feita uma avaliação pelo cirurgião responsável e a equipa de enfermagem, e, se estiver tudo bem, será elaborado o relatório de alta  e fornecida a medicação adequada a cada situação, para um máximo de sete dias do pós- operatório.

No caso de surgir qualquer problema médico  ou complicação cirúrgica grave, será providenciado  o transporte e o internamento do doente no Serviço  da especialidade em questão do Hospital Santa Maria.

Serão fornecidas ao doente e acompanhante recomendações por escrito relativas à operação realizada, bem como a data da próxima consulta.

O doente deverá seguir essas indicações em casa, mas no caso de surgir qualquer problema deverá contactar a UCA ou dirigir- se ao Serviço de Urgência Central do Hospital Santa Maria.

Lotação

17 camas
7 cadeirões

Recursos Humanos

Categoria
Número
Equipa de Enfermagem
12
Assistentes técnicos
2
Assistentes operacionais
8
Equipas médicas
na dependência dos Serviços a que pertencem

Especialidades

Cirurgia Geral
Cirurgia Vascular
Cirurgia Plástica
Cirurgia Cardio-torácica
Otorrinolarigologia
Estomatologia
Ortopedia
Neurocirurgia
Anestesiologia (Unidade da Dor)